fbpx

setembro 16, 2021

O gestor não pode negar um dos itens mais importante no laboratório: qualidade. O controle da qualidade é previsto pela RDC 302/2005, uma norma técnica da Anvisa que determina as regras de funcionamento dos laboratórios clínicos e segundo a qual os laboratórios devem garantir a qualidade dos processos por meio do controle interno e do controle externo da qualidade. 

Mas, além da obrigatoriedade imposta pela RDC 302/2005, adotar processos que visam aumentar a qualidade do laboratório como um todo é muito importante. A qualidade garante a eficiência e a eficácia da gestão laboratorial, além de reduzir custos, melhorar questões relativas à segurança e colaborar para que o laboratório consiga acreditações. 

Siga a leitura e entenda tudo o que você precisa saber sobre o controle de qualidade nos laboratórios!

O que é o controle de qualidade

Em primeiro lugar, é importante entender exatamente o conceito de controle de qualidade. 

Quando falamos em controle de qualidade, nos referimos a um processo de melhoria contínua que visa identificar gargalos, corrigi-los e estabelecer o melhor ambiente possível aos colaboradores e clientes. Além disso, o controle da qualidade está diretamente relacionado à satisfação dos clientes, que é fruto de todo o atendimento que ele recebe no laboratório. 

O controle da qualidade funciona também como um diferencial competitivo. Laboratórios que prestam atenção aos processos internos e externos, tanto na parte da gestão quanto no atendimento ao cliente, saem à frente em produtividade, em otimização da rotina e em tudo que é relativo à qualidade propriamente dita.

É importante frisar que existem dois tipos de controle da qualidade: o interno e o externo.

Controle interno

O laboratório deve monitorar o processo analítico por meio da análise das amostras controle. Essas análises devem ter seus resultados registrados para comprovações posteriores. Além disso, devem ser determinados seus critérios de aceitação.

É importante lembrar que as análises das amostras controle devem ser feitas da mesma forma que as das amostras de pacientes, para garantir a confiabilidade do processo.

Controle externo

O controle externo consiste na participação do laboratório clínico em Ensaios de Proficiência para todos os exames realizados na sua rotina. Assim como no controle interno, as amostras controle são analisadas da mesma forma que as amostras de pacientes.

A diferença é que os resultados são submetidos a uma empresa externa, regulamentada pela ANVISA. Assim é possível garantir uma avaliação imparcial e confiável.

Objetivos do controle da qualidade no laboratório

É importante lembrar que o principal objetivo do controle da qualidade nos laboratórios de análises clínicas é estabelecer a melhoria contínua para obter resultados condizentes com a realidade vivida pela instituição. 

As certificações e acreditações são consequência e exigem esforço de todos os colaboradores, independente do nível hierárquico. Mas a qualidade tem tudo a ver com processos otimizados, padronizados, automatizados e controlados – só assim é possível observar, identificar e, ao fim, consertar falhas e fazer ajustes para que as consequências de possíveis deslizes sejam minimizadas e a segurança e a qualidade sejam preservadas ao máximo.

É válido ressaltar que o controle da qualidade é parte de um espectro maior do laboratório, a gestão da qualidade. Laboratórios que possuem um setor de gestão da qualidade, destinado exclusivamente para cuidar desse departamento, saem à frente. 

Falar em gestão da qualidade é tratar do alinhamento e da padronização dos processos internos e externos da empresa. No caso dos laboratórios, o objetivo é se certificar de que todos os serviços atendem às expectativas dos clientes e do mercado, além de seguir as leis e normas referentes ao setor.

Gerir a qualidade está diretamente relacionado à entrega de confiabilidade e o mínimo possível de defeitos, além de prezar pela satisfação do cliente, desenvolvimento e gestão de recursos humanos, controle de processos, propósito e melhoria contínua. 

Como garantir e controlar a qualidade nos laboratórios

Existem algumas ações que devem se tornar padrão nos laboratórios a fim de controlar e garantir a qualidade nas instituições. Vale reforçar que a qualidade está ligada a todos os departamentos e setores do laboratório, e vai muito além da coleta e da análise das amostras e da disponibilização dos resultados, compreendendo a recepção, o atendimento, a gestão das informações, etc.

Vamos falar, então, sobre quais são essas ações? Siga a leitura!

Biossegurança

A biossegurança refere-se às medidas que visam prevenir riscos inerentes à rotina laboratorial que representam riscos à saúde dos profissionais, dos clientes e/ou do ambiente. Trata-se de uma série de cuidados que devem ser tomados para garantir a proteção de todos os envolvidos nos processos internos e externos do laboratório.

A biossegurança está diretamente relacionada ao uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) como luvas descartáveis e especiais, avental, touca, sapatos fechados, óculos, máscaras, etc. Além disso, a sinalização do laboratório deve ser devidamente elaborada de acordo com as normas e riscos do local, que deve conter rotas de fuga sinalizadas e planos de contingência específicos.

No post completo sobre biossegurança que já publicamos aqui no blog, também abordamos os níveis de biossegurança determinados pela Anvisa e os tipos de riscos (físicos, químicos, biológicos e ergonômicos) que os laboratórios possuem. Confira!

Padronização de processos

Falamos aqui sobre como a qualidade está diretamente relacionada aos processos. Processos rápidos, ágeis, eficientes e condizentes com a realidade do laboratório garantem mais qualidade à instituição.

Padronizar processos significa criar métodos que guiarão como os processos serão conduzidos, ou seja, definir etapas para a realização das tarefas. Os processos devem ser pensados pelos gestores de qualidade e pelos gestores dos respectivos setores do laboratório a fim de tornar a rotina mais ágil. 

Quando falamos em qualidade, falamos sobretudo em processos focados na melhoria contínua. Sem processos padronizados, atingir e manter altos padrões de qualidade torna- se muito mais difícil. É por isso que, quando um laboratório está planejando ações relativas à gestão da qualidade, deve começar por pensar na padronização, otimização e automação dos processos.

Vale ressaltar que a padronização não envolve somente as etapas das tarefas, mas também os materiais utilizados para realizá-las. Por isso a tecnologia é tão importante – ela é capaz de agilizar como os processos são conduzidos e de garantir mais segurança nos dados obtidos e trabalhados.

Indicadores de desempenho

Indicadores também são uma parte muito importante da qualidade. Os indicadores de qualidade, sobre o qual também temos um post completo, são os parâmetros que o laboratório precisa seguir para medir e confirmar a validade dos serviços prestados. 

A quantidade de indicadores que podem ser medidos é imensa, e o ideal é que o foco seja nos que, quando descumpridos, causam maior impacto. Alguns exemplos de indicadores comuns nos laboratórios são: erros na abertura de cadastro (identificação equivocada do cliente ou do médico, erro no cadastro de exames), falhas na coleta ou recoleta, percentual de exames liberados no prazo, percentual de laudos retificados e quantidade de não conformidades. 

Quantidade de não conformidades

As não conformidades laboratoriais são uma parte importante da gestão da qualidade. As não conformidades têm a ver com deslizes cometidos pelos laboratórios e/ou com fatores que não condizem com o que o laboratório deve entregar. 

Já abordamos as principais não conformidades em um post completo aqui no blog também, mas é importante ressaltar que elas afetam imensamente a qualidade dos laboratórios. 

As não conformidades podem ocorrer na recepção e no atendimento inadequados, em relação a informações erradas sobre preparos para coletas e/ou coletas impróprias, no armazenamento das amostras, na análise das amostras e em relação à interpretação dos resultados. Por isso é importante que todos os colaboradores do laboratório estejam ciente dos processos que foram criados para cada uma das funções, a fim de evitar a ocorrência de não conformidades e falhas nas tarefas.

Acreditações e certificações

Um dos principais objetivos dos gestores de laboratórios de análises clínicas é conseguir acreditações e certificações relativas ao setor. São documentos que atestam a qualidade do laboratório e por isso é tão importante que ela esteja em dia antes de o laboratório ser auditado. 

Também temos um e-book completo sobre acreditação para que você tenha todas as informações necessárias sobre o tema. Mas, de qualquer forma, ressaltamos que a acreditação é concedida por órgãos autorizados e atesta a qualidade do laboratório.

Apesar de não ser obrigatória, a acreditação é muito importante para determinar que os processos do laboratório estão de acordo com a legislação e demonstra a preocupação da instituição com a excelência da prestação de serviços e da satisfação dos clientes. 

Laboratórios que buscam acreditação devem definir o escopo e o órgão pelo qual quer ser acreditado, uma vez que cada órgão tem suas exigências específicas para conceder a acreditação. Depois, é necessário solicitar a acreditação e se preparar para obtê-la – e isso tem tudo a ver com melhoria contínua dos processos. 

É super importante lembrar que, depois de obtida, a acreditação deve ser mantida. Obter um certificado não é um fim – pelo contrário, é apenas mais um motivo para manter os trabalhos em torno da qualidade em dia. 

Automação laboratorial

A automação laboratorial diz respeito ao interfaceamento de equipamentos de análises clínicas com o sistema de gestão do laboratório. 

O interfaceamento permite que as informações que estão nos equipamentos sejam automaticamente enviadas ao sistema e permite que sejam acessadas por todos os colaboradores do laboratório.

Entre as vantagens da automação, destacam-se a melhora na produtividade e redução do tempo de realização do exame (redução do cadastro dentro do equipamento, redução da transcrição manual de dados, redução da liberação manual de resultados, redução do tempo de análise do resultado e redução do tempo de entrega do resultado), mais qualidade e confiabilidade nas informações, aumento da rastreabilidade, redução de custos e melhora da gestão do laboratório e maior competitividade e destaque diante da concorrência. Tudo isso favorece para aumentar os níveis de qualidade do laboratório. 

Conte com o apoio de um sistema de gestão da qualidade

Você sabia que o Concent possui uma solução vertical, o Quaent, um sistema de gestão da qualidade desenvolvido exclusivamente para instituições de saúde?

O Quaent possui diversos módulos cujo objetivo é facilitar a gestão da qualidade em todas as suas frentes. 

O sistema possui diversos módulos, como Controle Interno da Qualidade, gestão de documentos, não-conformidades, gestão de pesquisa, gestão de satisfação do cliente (NPS), pesquisa de clima organizacional, gestão de risco, gestão de treinamentos e reuniões, gestão de auditoria e gestão de equipamentos analíticos.

O módulo que trata das não conformidades, por exemplo, possibilita abertura de ocorrências por todos os usuários e a classificação das ocorrências por tipo determinado, além de possuir notificação automática dos envolvidos, vínculo de ação corretiva, plano de ação com as NC’s e total controle das ações em todas as etapas. O módulo também conta com dashboard instantâneo de indicadores, possui vínculo da NC com o módulo de Gestão de risco e rastreabilidade total das informações.

Já o módulo sobre controle interno da qualidade, por sua vez, engloba análises de múltiplos controles baseados nas Regras de Westegard e aplicação da metodologia Six Sigma, alertas e análises das regras estabelecidas individualmente, cálculo automático dos resultados próprios do seu laboratório e cálculos de incerteza de medição. Oferece também resultados de forma interfaceada a rastreabilidade total dos processos, além de contar com dashboard dinâmico das principais não confomidades e backup e armazenamento de forma segura – tudo para que o Controle de Qualidade seja feito de forma ágil, segura e rápida.

Assim como o Concent, o Quaent aposta na automação para facilitar a vida dos gestores. Quando automatizamos processos, temos mais tempo para nos dedicar a outras tarefas – e a qualidade é consequência disso.

Se você ainda tem dúvidas de que vir para o lado laranja da força e utilizar Concent e Quaent é a melhor opção para a qualidade do seu laboratório, entre em contato conosco pelo WhatsApp (43) 3025-8222 e tire todas as suas dúvidas! 

O Quaent pode ser testado gratuitamente por sete dias, o que fará com que você veja por si só como a qualidade do seu laboratório será alavancada com a ajuda de um sistema de gestão da qualidade tão completo. 

Se você quer ficar por dentro de todas as novidades e dicas sobre qualidade, vale acompanhar o Quaent também no Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube para ficar por dentro de conteúdos especiais!

Aproveite também para acompanhar a Concent no Facebook, Instagram, LinkedIn  e YouTube. Esperamos você!

Autora

Beatriz Amaro

Gosto de ler, escrever, estudar, ficar com os meus gatos e minha família: no meu tempo livre, gosto de me dedicar às coisas e pessoas - e animais, é claro - que amo. É a melhor forma que encontro de renovar minhas energias e trilhar meu caminho

>