fbpx

fevereiro 5, 2021

A rotina do(s) gestor(es) dos laboratórios não é fácil. Além da necessidade de estar a par de todos os processos internos, como são realizados, quais resultados são obtidos e como são calculados, os gestores precisam acompanhar de perto suas equipes – e, para isso, uma boa relação entre liderança e liderados é fundamental.

Equipes de laboratórios costumam ter demandas altas de trabalho. Do atendimento à entrega dos laudos com os resultados, os processos são muitos, e o fluxo de atividades é intenso e constante. Essa rotina movimentada exige um time de colaboradores de alta performance, ou seja, capazes de absorver essas demandas e executá-las de acordo com os processos estabelecidos pela empresa.

Para isso, não basta apenas que o colaborador seja qualificado e tenha as competências necessárias para realizar as atividades; é fundamental que os gestores do laboratório, líderes da equipe, sejam participantes ativos da rotina de trabalho dos colaboradores.

O que é liderança transformacional?

É aqui que entra o conceito de liderança transformacional, também chamado de liderança carismática, que surgiu em 1970, no livro Rebel Leadership: Commitment and Charisma in a Revolutionary Process, de James Downton. Resgatado e desenvolvido por James Burns, o conceito passou a ser amplamente utilizado para basear pesquisas de liderança no mundo todo.

A liderança transformacional se dá através do trabalho em conjunto do líder e de sua equipe, que identificam uma mudança necessária e pensam juntos em uma forma de realizá-la. A intenção é criar uma visão e agir de acordo com a inspiração, além de dar mais espaço à criatividade na criação de soluções eficazes para problemas muitas vezes antigos.

A transformação não se dá apenas no ambiente, nos processos ou em determinados aspectos da empresa, mas também – e principalmente – nas pessoas. Um líder transformacional, mais que apenas um gestor, é capaz de inspirar sua equipe e de caminhar ao lado dela, extraindo os pontos fortes de cada um dos colaboradores. Ainda que a hierarquia exista e deva ser respeitada, ela não é explícita, mas sutil.

Uma das grandes diferenças entre gestores e líderes transformacionais é que, enquanto os primeiros estão preocupados sobretudo com os resultados atingidos pela empresa, os segundos também se preocupam com o modo através do qual esses resultados serão atingidos. Para ele, é importante que, durante todos os processos, a equipe esteja se sentindo acolhida e participe das decisões.

Qualidades de um líder transformacional

A liderança transformacional se sustenta em quatro pilares: influência idealizada, estímulo intelectual, motivação inspiracional e consideração individualizada. Entenda:

  • Influência idealizada: este pilar se refere à capacidade do líder de liderar pelo exemplo. O líder transformacional se comporta como gostaria que sua equipe se comportasse. Além disso, não demanda coisas que não faria. Este elemento está intrinsecamente ligado à ética profissional.
  • Estímulo intelectual: o líder transformacional parte do princípio de que sua equipe é formada por colaboradores inteligentes e os estimula a pensar, a elaborar ideias e a pensar em soluções a partir da criatividade. Ele é capaz de calcular riscos e assumi-los e de transformar os colaboradores em agentes de inovação.
  • Motivação inspiracional: para o líder transformacional, a motivação parte da inspiração. Ele é uma figura apaixonada pelos projetos com os quais se envolve, o que o torna capaz de motivar sua equipe ao mesmo tempo em que a inspira e trabalha ao lado dela.
  • Consideração individualizada: ainda que todo o trabalho seja realizado em equipe, é importante considerar cada colaborador como um ser único e individual, com suas potências e limitações – e o líder transformacional é capaz de fazer esse gerenciamento muito bem, sem perder de vista cada profissional sob seu comando.

Liderança transformacional em laboratórios clínicos

É importante ressaltar que a liderança transformacional exige a participação ativa dos gestores. Para isso, é preciso que eles tenham tempo para se dedicar ao trabalho e à equipe. No caso dos laboratórios clínicos, um sistema de gestão, que automatiza e simplifica processos, além de padronizá-los e de otimizar tempo e recursos, pode ser um grande aliado dos gestores que procuram exercer a liderança transformacional.

O Concent, sistema de gestão laboratorial mais completo do mercado, tem como um de seus objetivos facilitar a rotina dos gestores. Para conhecer nossas soluções, entre em contato conosco pelo WhatsApp (43) 3025-8222.

Não deixe de nos acompanhar no FacebookInstagramLinkedIn e YouTube para ficar por dentro de todos os nossos conteúdos. Aproveite para compartilhar este post com os colegas!

Autora

Beatriz Amaro

Gosto de ler, escrever, estudar, ficar com os meus gatos e minha família: no meu tempo livre, gosto de me dedicar às coisas e pessoas - e animais, é claro - que amo. É a melhor forma que encontro de renovar minhas energias e trilhar meu caminho

>